Categoria: Comunicados Nacionais

Resposta às atitudes da Fertagus após a reunião de 4 de novembro

Na sequência de ofício que nos foi enviado pela Fertagus e, também, na sequência de emails que foram enviados por esta empresa aos seus maquinistas nossos associados, assim como na sequência de abordagens individuais impróprias e com propósitos intimidatórios debaixo da máscara de um paternalismo bacoco e serôdio que apenas pretende esconder o assédio laboral que a administração desta empresa professa, enviamos à Fertagus o ofício-resposta que abaixo publicamos em Comunicado.

comunicado_fertagus_01_20

SMAQ CONSTITUÍDO ASSISTENTE AO INQUÉRITO AO ACIDENTE DE SOURE A LEVAR A CABO PELO MINISTÉRIO PÚBLICO DE COIMBRA

SMAQ

O Excelentíssimo Juiz de Direito do Juízo de Instrução Criminal de Coimbra, do Tribunal Judicial da Comarca de Coimbra, admitiu o SMAQ – Sindicato Nacional dos Maquinistas dos Caminhos de Ferro Portugueses, por ter legitimidade, a intervir como Assistente nos autos do inquérito ao acidente ocorrido em Soure, no passado dia 31 de julho, entre um comboio Alfa Pendular e um veículo da IP, Infraestruturas de Portugal.

O SMAQ intervirá neste processo no sentido da defesa do seu Associado e com o objetivo de contribuir para a melhoria permanente das condições de segurança do sistema ferroviário nacional.

 

 

ACIDENTE COM O COMBOIO N.º 133 DE 31 DE JULHO DE 2020

SMAQ

 

O Sindicato dos Maquinistas (SMAQ) envia as suas sinceras condolências às famílias enlutadas devido ao trágico acidente ferroviário ocorrido hoje. O SMAQ manifesta-se igualmente solidário com os feridos, entre os quais se encontra o nosso colega que conduzia o comboio que colidiu com o veículo de manutenção de via da Infraestruturas de Portugal (IP).

Sem nos adiantarmos ao resultado do inquérito a este acidente, o SMAQ recorda que há muito que vem manifestando, junto das entidades responsáveis – Ministério das Infraestruturas, Instituto da Mobilidade e Transportes (IMT), IP e operadores ferroviários -, preocupações sobre o aligeiramento das normas de segurança ferroviária que, consideramos, têm ocorrido nos últimos anos. Manifestamos igualmente junto do Ministério a nossa preocupação pela falta de meios materiais e humanos para que o departamento ferroviário do IMT possa exercer uma conveniente fiscalização da atividade do gestor da infraestrutura, a IP, e dos operadores ferroviários.

No último ano o SMAQ enviou várias comunicações ao IMT e IP sobre matérias que consideramos preocupantes para a segurança das circulações. As respostas obtidas do IMT não foram satisfatórias. A IP, por norma, não responde.

O SMAQ acompanhará de perto todos os inquéritos a este acidente. O SMAQ confia que o Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes Aéreos e Ferroviários (GPIAAF) levará a cabo uma rigorosa e exigente investigação.

O Caminho de Ferro é o mais seguro meio de transporte terrestre. Os seus utilizadores, o público em geral e os seus trabalhadores, exigem saber o que falhou de modo a podermos corrigir o que está errado e continuar a merecer a sua confiança.

A Direção do SMAQ